About me

My photo

H.E. Ambassador Constancio Pinto currently is the Minister for Commerce,Industry and Environment, prior to this post, Ambassador Pinto served as  the Vice-Minister for Foreign Affairs and Cooperation and Vice-Minister of Commerce, Industry and Environment of Timor-Leste. He served as Ambassador of Timor-Leste to the United States of America ( Nov. 2009 - August 2012) and to Mexico and Canada from (2011-2012); a leader of Timorese Resistance and author of East Timor Unfinished Struggle. 

Friday, November 6, 2009

Entrevista com o Embaixador Constancio Pinto

Angola Press – 05 Novembro 2009

Lisboa - O programa criado pelos Estados Unidos para a redução da pobreza nos países em desenvolvimento vai contar a partir deste ano com Timor-Leste, disse hoje à Lusa o embaixador timorense em Washington.

Contactado telefonicamente a partir de Lisboa, Constâncio Pinto, que apresentou quarta-feira cartas credenciais ao Presidente Barack Obama, salientou que para beneficiar já este ano do Millennium Challenge Account (Conta do Milénio) Timor-Leste "vai ter que trabalhar muito".

A Conta do Milénio é gerida pela Millennium Challenge Corporation (MCC), uma agência da Administração norte-americana, e foi criada em 2004 pelo x-Presidente George W. Bush.
O objectivo deste programa é financiar projecto de redução da pobreza e de crescimento económico.

A elegibilidade de qualquer país depende da conjugação de 17 indicadores, tendo Timor-Leste, em 2008, registado uma avaliação negativa em dois dos mais importantes: o controlo da corrupção e os direitos de propriedade.

Outro programa de que Timor-Leste vai beneficiar é o Acordo Preferencial de Tarifas (GSP, no acrónimo em língua inglesa), que permitirá a exportação de mais de Mil e 500 produtos para os Estados Unidos, sem pagar taxas alfandegárias, precisou o embaixador Constâncio Pinto.

Timor-Leste é actualmente o 211º parceiro comercial dos Estados Unidos, e em 2008, as trocas comerciais bilaterais ascenderam a 5 milhões de dólares (3,3 milhões de euros).

Naquele período os bens exportados pelos Estados Unidos (químicos inorgânicos e máquinas eléctricas, entre outros produtos), totalizaram cinco milhões de dólares, enquanto que Timor-Leste vendeu apenas 24 mil dólares de bens, pelo que o saldo da balança comercial bilateral é favorável, na quase totalidade, aos Estados Unidos, o que traduz uma diminuição de 52,7 por cento relativamente a 2007.

"Os Estados Unidos mantêm ainda acções de cooperação em Timor-Leste na área da defesa, na formação dos nossos militares", recordou Constâncio Pinto.

Quanto à continuidade da aplicação do Fundo Petrolífero timorense em activos do tesouro federal norte-americano, o embaixador de Timor-Leste disse à Lusa não dispor ainda de nenhuma informação ou indicação para alterar aquela opção.

No passado dia 21 de Outubro, o Presidente da República de Timor-Leste, José Ramos-Horta, disse ser urgente diversificar as aplicações do Fundo Petrolífero, actualmente em títulos do tesouro norte-americano, devido à desvalorização do dólar.

O Fundo Petrolífero reúne as receitas resultantes da exploração dos hidrocarbonetos timorenses e a legislação timorense em vigor estipula que o Estado timorense deve investir 90 por cento em títulos de tesouro americanos, e 10 por cento noutros títulos.

A gestão do Fundo Petrolífero é feita conjuntamente pela Autoridade Bancária de Pagamentos, que tem funções de banco central, e pelo Ministério das Finanças.

"Devemos diversificar o investimento. Que tipo (de investimento) ainda não se sabe. Possivelmente investir noutras áreas, na Europa por exemplo, mas concretamente ainda não está definido", disse Constâncio Pinto.

O novo embaixador timorense vai residir em Washington, o que sucederá pela primeira vez, uma opção ditada por "questões logísticas", concluiu o diplomata.
.

No comments:

Post a Comment